Especialidades
 »  Podologia
 »  Medicína Dentária
 »  Nutrição
 »  Todos

Rastreio ao Pé do Diabético

Durante os meses de Novembro e Dezembro a Podomed irá ...

Ler mais ...

Pesquisa:
 As nossas Clínicas
 »  Podomed® AVIDOS
 »  Podomed® DELÃES
 »  Estarreja
 Marcação de consultas
Tlf: 252 862 066 | Tlm: 918 203 904
Horário
Seg. a Sex | 9h -12:30h; 14h-18:30h

 O SEU FILHO CAMINHA CORRECTAMENTE?
O SEU FILHO CAMINHA CORRECTAMENTE? TEM QUEDAS FREQUENTES? O QUE FAZER?

Marcha em intraversão, extraversão, pé plano, joelhos valgos, andar em pontas: estas alterações no desenvolvimento da criança são tão comuns que no conjunto, afectam todas as crianças num determinado momento do seu crescimento.

A resposta a estas perguntas constitui um dos principais motivos de consulta de Podologia infantil. O mais importante é diferenciar correctamente o normal do patológico, mas sempre que as quedas frequentes sejam uma das consequências de uma marcha alterada deverá ser alvo de uma avaliação biomecânica cuidada.

Normal, o que é normal? Durante os primeiros 3 anos de vida a planta do nosso pé é munida de uma capa de gordura capaz de nos confundir e dar a imagem de um pé plano ou chato, esta situação é fisiológica e a evolução e crescimento proporciona a absorção desta capa surgindo a arcada do pé. Sempre que associada a esta situação surja o desalinhamento dos calcanhares (entortar dos tornozelos), deverá ser alvo de uma avaliação podológica.

As marchas em intraversão e extraversão, ou seja, colocar os pés para dentro ou para fora e caminhar em pontas são mais algumas das alterações frequentes que podem surgir e alterar os padrões fisiológicos da marcha. È importante descriminar correctamente a causa deste tipo de alterações e corrigir o mais precocemente possível.

Colocar os joelhos para dentro é um dos principais motivos de quedas frequentes devido ao choque dos mesmos durante o caminhar. A evolução fisiológica do alinhamento dos membros inferiores é feita por um varismo ao nascimento (joelhos para fora), que tende a normalizar até aos 18 meses e se inverte por valguismo, colocando os joelhos para dentro até aos 3/4 anos. Desde então a tendência é de normalizar até aos 6/7 anos.

O tratamento quando necessário, poderá passar pela utilização de palmilhas de correcção ou compensatórias realizadas pelo podologista/podiatra infantil após uma avaliação estática e dinâmica da marcha.

Em forma de conclusão gostaria que ficassem com a ideia que existem alguns aspectos do nosso crescimento ou algumas variações que se traduzem em alterações fisiológicas e outras que sendo anormais poderão ter tradução na marcha da criança. A detecção precoce destas alterações deve ser realizada desde cedo pelo pediatra, médico de família, ortopedista e podologista/podiatra, com o objectivo comum de um crescimento saudável da criança.

Publicado em: Jornal Opinião Pública 20/10/10

  2010-10-29 Dr. André Azevedo
 » Voltar à página anterior


                   Unidades Clínicas  |   Profissionais  |   Especialidades  |   Consultas  |   Contactos  |  Links úteis  |   Mapa do site webdesign